Poetisa Leidiana S. Silva

Poetisa Leidiana S. Silva
********

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

A BELEZA OCULTADA

Certo Homem cultivava,
Rosas em seu jardim,
De todas as cores e tipos,
Vendia...
E até mesmo exportava para outros países.

Um dia...
Ele percebeu que, em um de seus canteiros,
No meio das Rosas tinha nascido uma plantinha diferente,
E sem ao menos saber o que era,   
Ele arrancou...
Mais ficou uma raiz
Que mesmo sufocada no meio das Rosas...
Ela brotou... 

Deslumbrado com a beleza das Rosas
Ele nem se deu conta do que tinha ocorrido,
Mesmo sendo desprezada,
Sabendo que não era bem vinda;
Ela cresceu e multiplicou-se... 
Suas flores perfumosas seu perfume exalou,  
perfumando o jardim;
Daquele homem sem amor,  
Que não sentia suas fragrâncias, 
Nem sua beleza observou...
 
...Um dia
Ele aguardava a chegada, de um famoso Comprador de Flores, que pretendia fazer uma grande encomenda de flores;
Quando o comprador viu o canteiro! 
Encantou-se...
Não pelas Rosas!
Mais pelo lindo Lírio Branco 
Que ali floresceu...
Mostrando sua beleza:
...E encantando o comprador.

Afinal de contas, mesmo entre Rosas e espinhos!
O Lírio desabrochou...
E assim o comprador emocionado, se expressou:

Vós desculpeis-me, 
Pelo que dizê-lo eu vou?
_Suas Rosas me agradam!
_Mais o Lírio me encantou...
Custe o que custar! Eu espero o tempo que preciso for,
Mais a encomenda que eu vou lhes fazer,
...É de Lírio meu Senhor...

Aquele Homem assustado,
Daquele dia se lembrou!
Em que arrancou Aquele lírio,
Com crueldade e furor,
Lê tirando a chance, de mostrar a sua beleza.
E de exalar o seu perfume,

...Contribuindo com a Natureza.

 Leidiana S Silva
                     

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário