Poetisa Leidiana S. Silva

Poetisa Leidiana S. Silva
********

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

MINHA INFÂNCIA - AS BRINCADEIRAS


No meu tempo de criança
Era só alegria
Tudo era brincadeira
Muito eu me divertia
Construía uma fazenda
Com gravetos no quintal
E com alguns ossinhos secos
Fazia os animais
Eu era uma grande fazendeira
E meu irmão o capataz
Pra mim tudo tinha valor
Eu brincava com amor
E via a felicidade
Até numa linda flor


Construía uma barraca
Lá no fundo do quintal
Cobria com palhas
E as vezes com lona
Para brincar com a galera
Só que eu que era a dona
E brincava de casinha
Com a maior felicidade
Pois a nossa comidinha
Parecia de verdade
Era salada de flores
E brotos de feijão
Um bolo de terra
E umas pedrinhas era pão


As panelas da casinha
Eram simples manteigueiras
E as colheres da minha mãe
Entravam na brincadeira
Os copinhos eu me lembro
Eram garrafinhas cortadas
E a jarra para o suco
Uma lata prateada


Brincava de pega-pega
E também de futebol
De esconde-esconde
E até de dominó
Brincava de roda
Cobra sega e bambolé
Também pulava corda
Era alegre pra valer


As tampinhas de tubaina
De cerveja, ou guaraná
Eu vivia procurando
Só para colecionar
Não sei que graça eu achava
Em fazer coleção
De coisas sem sentido
Só sei que era bom


Que saudade hoje eu tenho
Dos bons tempos que passou
Assim como o século XX
Se foi e não mais voltou
Só ficou recordações
Das traquinagens e brincadeiras
De descer de bicicleta
Com as mãos soltas na ladeira


Tenho orgulho de ter tido
Uma infância verdadeira
Onde eu me divertia
Inventando brincadeiras
Também era obediente
E respeitava os meus pais
Era amiguinha de todos
E querida por demais
Esforçada na escola
Adorava estudar
E pensava em um dia
Professora me formar


Além de me divertir
Eu brincava de montão
Com meus primos, meus amigos
E também com meu irmão
Realmente eram bons tempos
Me recordo todo dia
Pois eu era feliz
Mas só que eu não sabia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário