Poetisa Leidiana S. Silva

Poetisa Leidiana S. Silva
********

quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

VIDA DE FORASTEIRO


Um forasteiro sou
Sempre sem direção
Do jeito que entro saiu
Não me apego, não

Sei entrar e sei sair
Na vida sei viver
Até quando estou nervoso
Sempre sei como me conter

Um forasteiro solto
Nesse mundo de Deus
Chego sem ser convidado
Saio e só deixo o adeus

As vezes fico esquecido
E as vezes procurado
Mas se começo me apegar
Logo já deixo de lado

Vida de forasteiro
É vagar vagar vagar...
Um dia está aqui
Amanhã está aculá...

Vida de forasteiro
Também é infeliz
Vida solitária
Forasteiro é quem diz

Forasteiro sou
Mas vou deixar de ser
Pois vou mudar meu rumo
Minha vida refazer

Cansei de ser atoa
Agora me refiz
Cansei de ficar só
Quero é ser feliz

Chega de ser sozinho
Quero me casar
Ter a minha família
Ser uma casa, ter um lar

Forasteiro fui
Mas já não mais sou
Tenho uma parada
Tenho casa e tenho amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário