Poetisa Leidiana S. Silva

Poetisa Leidiana S. Silva
********

quarta-feira, 23 de março de 2016

A DOR DA INDIFERENÇA

Uma dor, "Tremenda dor!"
A que dói dentro de mim
Não sei como uma dor
Pode doer tanto assim

Uma dor tipo tortura
Dor que não alivia
Dor essa que dói
De noite e de dia

Tipo um tormento
Assim é essa dor
Dor do desprezo
Dor do desamor

Eu não sei o porque
Mas sou muito humilhado
Por mais que tento me entrosar
Sou excluído e ignorado

A dor da desfeita
Dor da discriminação
É rasteira que derruba
Que te deixa lá no chão

De pessoas que se cresce
E diminui você
E não está nem aí
Se tua amizade perder

Isso dói na alma
É uma grande judiação
Esse tipo de atitude
Deixa você sem ação

Aquela dor profunda
Que chega o peito corroer
Transparece em plena face
E pelos olhos vem correr

Não sei como que pode
Uma dor tanto doer
Maltratando o coração
Parece até que vou morrer

Dias a dor meio alivia
Outros dias volta a doer
Uma hora fico alegre
Depois volto a entristecer

Pessoas que nós deixa triste
Temos que deixar de lado
Só assim o lugar doído
Ficará anestesiado

Quem hoje te machuca
Te fazendo chorar
O mundo dará volta
E ela em baixo vai ficar

Então sorrindo ou chorando
A vida vou levando
Enquanto estão me desprezando
Ainda mais estou me amando.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário