Poetisa Leidiana S. Silva

Poetisa Leidiana S. Silva
********

segunda-feira, 14 de março de 2016

INSTINTO - NO HABITAT ANIMAL

Dizem que animais são unidos
Se algum for: Isso é uma raridade!
Vou contar uma reflexão
Que mostra a realidade

O animal em seu habitat
É cada raça por si
Não tem essa de união
"Bichos não se uni não"

Era um tempo de seca
Que fazia muito frio
Os animais passavam fome
E o mês era de abril

Os lagos estavam se secando
Não tinha água para beber
Os animais morriam de fome
Pois não tinham o que comer

Uma onça da pintada
Encontrou uns filhotinhos
De uma raposa que tinha morrido
E os levou para seu ninho

Eram cinco os filhotes
Que ela passou a cuidar
A onça toda cuidadosa
Até os deram de mamar

Junto dos seus filhotes
Aquela onça os criou
O tempo foi passando
Eles cresceram e engordou

Os filhotes da pintada
Eram cinco também
E os filhotes de raposa
Todos queria muito bem

As raposinhas bem contente
Se sentia com sua gente
Tinham a família daquela onça
Como seus o próprios parentes

Mas a seca aumentou
Foi ficando decadente
E a vida que tava difícil
Pior ficou... Pros bichinhos inocentes

O pouco de água do lago secou
Os animais começou a morrer
E nenhuma comida a onça achou
E ficou ao ponto de enlouquecer

Um dia muito radical
O instinto animal
Virou a cabeça da onça pintada
A deixando esfomeada

Sem ter outra opção 
A onça pintada sem coração
Matou um filhote da raposa
Sem nenhuma comoção

Mais três dias se passou
E a onça outra raposa matou
E com esse matança
Os filhotes alimentou

Se passaram mais cinco dias
E a onça sem pensar
Pegou outra raposinha
Para comer no jantar

Aí já se foi três
E a onça mais uma vez
Ensopado de raposa fez
Para alimentar os outros seis

A última raposinha
Para a onça perguntou
Onde foi as raposinhas
Que saiu e não voltou

A onça gagueijou
E não sabia o que dizer
A raposinha desconfiada
Resolveu se esconder

No fundo ela sabia
Que a onça a ia comer
E por isso ela fugiu
Para poder sobreviver

A onça furiosa
A raposa procurou
Se achando no direito
Pois "para comer" ela criou

Aquela ultima raposa
Dessa vez se livrou
E descobriu que cada espécie
Tem que dá a si "valor"

Cuidando uns dos outros
Como se fosse irmão
Pois o futuro de uma espécie
Mais depende da união

Entre presa e predador
Não tem essa de união
Quando o predador tem fome
Pega a presa sem ação

No mundo animal
Se duvidar veja bem
Uns comem vegetal
E outros, animal também

Por isso uns são caça
E outros caçador
Resumindo entre animais
União nunca reinou

No habitat animal
Raças não se uni não
Cada raça tem seu bando
Exilado vive não...

Esse exemplo da raposa
Que pela onça foi criada
É uma seria reflexão
Para ser muito bem pensada

Reflita com carinho
Reflita muito bem
O único ser que se mistura 
E o humano e mais ninguém

A raça humana se mistura
Com qualquer nacionalidade
Independente do País
Do Estado ou da Cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário