Poetisa Leidiana S. Silva

Poetisa Leidiana S. Silva
********

quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

MINHA INFÂNCIA - CHICLE DE BOLA

Pense num tempo bom
Era meu tempo de criança
Na menina dos meus olhos
Só brilhava esperança!

Tudo o que eu mais queria
Era mascar chicle de bola
E pular corda com a garotada
Depois de voltar da escola

Era assim me lembro bem
Todos sentados na calçada
Mascando e fazendo bola
De bobeira sem fazer nada

E ali rolava uma disputa
Só que meio sem noção
Para ver quem conseguia
Soprar o maior bolão

Me lembro até hoje
Que eu só me dava mal
Pois soprava um bolão
E me sentia a maioral

Só que depois que estourava
O desespero era total
Pois grudava no cabelo
E eu até passava mal

Como a bola era grande
Logo após de estourar
Eu tinha que limpar a cara
E do cabelo desgrudar

Pois se voltasse assim pra casa
De certo eu ia apanhar
Brava como minha mãe
Não era de se duvidar

Mesmo assim não me importava
E era só um cruzado ganhar
Que já corria lá na venda
Para mais chocletes comprar

Minha vida era essa
Isso para mim era treinar
E minha mãe como sempre
Falava: Para de traquinar!

Só que o tempo passou
E aquela menina cresceu
Os meus dentes se estragou


Pois masquei tanto chicle
Que vontade de mascar passou
E agora eu não quero
Nem saber quem inventou

O tempo passa e as vontades também
Sabe quem tem as mesmas manias
A vida toda...
...Quase ninguém!

Minha única mania
Que não consegui parar
Foi a de comprar doces
E um tempão guardar

Mas como já tenho filhos
Quando procuro não está lá
Eles comem todos doces
Que eu teimo a guardar

Essa é a minha vida
Essa é a minha história
O tempo se passou
Mas me lembro até agora

Época de criança
Em que a brincadeira era da hora
Mascar chicle com a galera
E competir fazendo bola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário