Poetisa Leidiana S. Silva

Poetisa Leidiana S. Silva
********

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

MUNDO DA INDIFERENÇA

Mundo da indiferença
Éh esse que estamos vivendo
Onde quem não tem dinheiro
Só às sobras está comendo

Onde o rico pode tudo
E o pobre só fica vendo
Onde o rico mais enriquece
E o pobre, está só padecendo

O mundo em que nós vive
É o mundo da corrupção
Onde o podre é punido
Quando o rico é ladrão

Você vai em um mercado
E tem um produto em exposição
Daí você vai ver o preço
E até dói o coração

Pois o valor que é cobrado
É um absurdo sem noção
E se o pobre olha e não compra
Logo pensam "que é ladrão"

Daí o tempo vai passando
E os ricos não vão lá comprar
Vai vencendo a validade
E logo, logo irá estragar

Aí o gerente cara de pau
Nem pensa em alguém fazer mal
Põe tal produto na promoção
Fazendo um anuncio sensacional

O pobre ver uma oportunidade
De possuir algo de qualidade
E sem olhar nem a validade
Compra para matar sua vontade

Ah! E tem mais um absurdo
Que vou falar para você
Se acaso duvidar
Repare bem que você ver

Pobre é pobre de frente
É pobre de lado e também de costa
E quando entra em uma loja
Nem todo, vendedor gosta

Quando um rico entra em uma loja
Todo mundo o quer atender
Mas quando entra um pobrezinho
Todos finge, até que não ver

Mas se ver que o pobre tem dinheiro
E perceber que deseja comprar
Mesmo vendo que ele é pobre
O vendedor vai o "bajular"

Então faz a sua venda
E usando da esperteza
Pega o que tem de mais caro
Ou o que tem maior beleza

Para vendedor hoje em dia
Não se engane não
Os clientes são as presas
E vendedor é o gavião

Mas só que infelizmente
Nem sempre pobre tem sua vez
E a não ser de financeira
Pobre nunca é freguês

Para vendedor pobre é caroço
Enquanto rico é investimento
Para ele pobre é perda de tempo 
Enquanto rico é rendimento

Pobre não tem mesmo vez
E a tendência é piorar
Pois do jeito que está indo...
Não vai poder nem aposentar

Enquanto isso os magnatas
Estão por aí roubando
Afundando o país
E os políticos apoiando

No mundo da indiferença
Infelizmente é assim!
Quem é bom não vale nada
Só quem vale, são os ruim

Isso é muito, muito triste
Só que essa é a tendência
É por isso que eu digo
Eis o mundo da indiferença

Só não podemos desistir
Mas sim continuar a lutar
E ter fé que uma hora
Esse jogo irá mudar

Esperar que a justiça
Seja feita com seriedade
E em fim o nossa mundo
Se componha de igualdade

Pelo menos nossa raça
Nossa pátria e nação
Espero atento com esperança
Que a indiferença caia ao chão

Indiferente mundo
Espero um dia você mudar
Pois nem que seja um dia
Quero de te me orgulhar.

Um comentário:

Deixe seu comentário