Poetisa Leidiana S. Silva

Poetisa Leidiana S. Silva
********

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

NA BEIRA DA ESTRADA

Na beira da estrada
Sentei para meditar
Na beira da estrada
Fiquei só a chorar

Na beira da estrada
Vi um pezinho de flor
Na beira da estrava
Eu pensei no amor

Na beira da estrada
Fiquei triste todo o dia
E na beira da estrada
Tive um pouco de alegria

Na beira da estrada
Dar muita solidão
Na beira da estrada
Também tem distração

Na beira da estrada
Não é fácil ficar
Pois na beira da estrada
Dá vontade de chorar

Na beira da estrada
Fui me refugiar
E sempre a sua beira
Estou a me sentar

Na beira da estrada
Na beira do caminho
Não importa a beira
Gosto de ficar sozinho

Na verdade ficar só
Não me faz mal não
Pois ficar só pra mim
É ouvir meu coração

Quando fico triste
Ou não sei o que fazer
Vou na beira da estrada
Para chorar e me entreter

Gosto de ficar a beirada
Lá me sinto muito bem
E quando lá estou
Não quero falar com ninguém

Então de preferência
Desligo o meu celular
E abaixo minha cabeça
Pra ninguém me incomodar

A beira da estrada
É o meu lugar sagrado
Onde só a minha sombra
Está ali do meu lado

É logo que ao meu lado
Um anjo também estar
Mandado por meu Deus
Para do mal me guardar

Na beira da estrada
Me sinto bem segura
Sei para alguém
Isso parece loucura

Mas é assim mesmo
Cada um com sua mania
Para mim uma boa paisagem
É uma excelente companhia

Na beira da estrada
Para ninguém você interessa
As pessoas passam reto
E com você mal conversa

Um carro só te para
Se na beirada estiver
E pedir uma carona
Não sentado, mas em pé

Uma boa paisagem
Só dá para avistar
Da beira da estrada
Ou quando se vai viajar

Mas a beira da estrada
Já está bom para mim
Viajar nos pensamento
Para mim não é ruim

A minha melhor viagem
É a da imaginação
Sentada num caminho
Cantarolando uma canção.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário