Poetisa Leidiana S. Silva

Poetisa Leidiana S. Silva
********

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

UM CONTO DE AMOR

Um dia um certo homem
Que morava em uma mansão
Muito rico e bonito
Mas que vivia na solidão

Gostava de dá festa
Sempre a comemorar
E para a alto classe
Seu dinheiro esbanjar

Sua casa estava sempre cheia
Pois tinha um festa por semana
Com muita gente da elite
Gente rica e bacana

Só que no outro dia
Depois da festa terminar
Todo mundo ia embora
Só a solidão ficava lá...

Uma dia uma linda mulher
Muito simples foi passando
E ele sua beleza
Tão simplória foi admirando

O coração bateu forte
A sua boca se secou
Totalmente paralisado
Olhando ela ele ficou

Completamente imóvel
Seu coração disparou
Mas enquanto ele a olhava
Ela em um ônibus entrou

Logo veio a sua mente
Sua alma gêmea encontrou
E naquele mesmo instante
Ele se apaixonou

Sentiu que era ela
O seu verdadeiro amor
Só que era tarde
Pois o ônibus embarcou

Ele ficou encantado
E só nela ele pensava
Ficando bem sem graça
Toda festa que ele dava

Todos que o conhecia
Ficaram preocupados
Quando viram seu amigo
Triste e desanimado

Pois ele além de rico
Era bonito e charmosão
E na boca das mulheres
Também era um garanhão

Ele só foi piorando
De tanto que desanimou
Que se trancou em casa
Pensando: Ela me escapou!

Mas tomou uma atitude
Sua mente acalmou
E começou rodar a Cidade
A procura do seu amor

Os dias foram passando
E mais triste ele ficava
Pois percorreu toda Cidade
E sua amada não achava

Uma dia ela cansou
E falou vou desistir
Não sei nem se é real
A tal mulher que eu a vi

Pode ser que foi miragem
Foi uma alucinação
Devo está ficando doido
E bateu o pé no chão

Quando de repente
Ele olhou... e bem do seu lado
E lá estava a mulher
Que sua cabeça tinha virado

E olhando para ela
Ele se aproximou
E de imediato soube
Que era ela seu amor

Gentilmente a cumprimentou
E contou a sua história
E disse estou feliz
Por ter lhe encontrado agora

Mas daí chegou o ônibus
E ela disse: Tenho que ir agora
E ele disse: Agora não!
Por favor me dê uma hora

E ele a perguntou:
Quando eu volto a vê-la
E ela disse:
Moço para já com brincadeira

Olha meu estado
Eu sei que sou bonita
Mas sou uma moça pobre
Que no amor acredita

Mas sei pelo seu jeito
Que não foi feito para mim
Pois eu já nasci podre
E você tão rico assim

Eu peço por favor
Não me faça de experimento
Pois só caso por amor
Ou então entro num convento

Siga seu destino
Com certeza vai conhecer
Alguém do mesmo nível
E o amor vai florescer

Moça por favor:
Deixa eu te conhecer
Desde o dia que te vi
Que só penso em você

Não precisa se assustar
Nem ficar desconfiada
Eu vou te provar
Que nasceu pra ser minha amada

O dias foi passando
E mais encontro aconteceu
Até chegar o ponto
Que sua família ele conheceu

E chegando a hora certa
Ele a ela perguntou:
Quer namorar comigo
E então ela aceitou

O tempo foi passando
E ele a ela se declarou
Abriu de vez seu coração
Que de verdade apaixonou

Eu amo você
Amo de verdade
Você estando do meu lado
E minha maior felicidade

Então ele o disse
Eu também amo você
E ficaria muito triste
Se chegar a te perder

Mas como você já sabe
Nada tenho a oferecer
Sou completamente podre
Diferente de você

Então ele a olhou...
No fundo dos olhos e sorriu
Balançou a cabeça
E então a falou:

Antes de te conhecer
Minha vida era vazia
Nem mesmo todo dinheiro
Proporcionava-me alegria

Sempre tive de tudo
Nunca nada me faltou
A não ser o essencial
Que era só o seu amor

Não preciso de dinheiro
Muito menos de mansão
Já ganhei a maior riqueza
Que é o seu coração

A pediu em casamento
Seu noivado festejou
E então numa grande festa
Sua amada desposou

Na vida nada é por acaso
Tudo nela tem um porque
O amor é algo que acontece
E pode nós surpreender

O amor verdadeiro
É tão difícil de encontrar
Mas está marcado no destino
Com data, hora e lugar

E só depende de nós
Seguir o coração
Esquecer o preconceito
E dá lugar a emoção

Foi assim que aquele homem
Se casou com o grande amor
Uma mulher a por quem ele
A primeira vista se apaixonou

Felicidade não se compra
Muito menor o amor
Que é a maior riqueza
Que no mundo Deus deixou

Não se iluda com o dinheiro
Nem com a classe social
Siga o amor pela emoção
E esqueça o racional

Um amor de verdade
Dinheiro alguém pode comprar
Olha o tanto que vivi
Para só agora te encontrar

O dinheiro se gasta
Um rico empobrece
Mas o amor verdadeiro
Não se acaba, nem envelhece

O amor é para sempre
Escada da superação
Pois juntos um casal
Constrói castelo e mansão

Aquele homem nunca mais
Soube o que é solidão
Pois a sua felicidade
Se mudou para a mansão

E viveram muito felizes
Em seu lindo casarão
Ele e sua linda amada
A que ganhou seu coração

Esse conto de amor
Que agora foi narrado
É daquele que se ler
E na mente é guardado.

2 comentários:

Deixe seu comentário