Poetisa Leidiana S. Silva

Poetisa Leidiana S. Silva
********

quinta-feira, 23 de março de 2017

BRUTA ADAPTAÇÃO

Sei que é inacreditável
Mas sou como camaleão
Me adapto em toda
E qualquer situação

As vezes parece até de pedra
Esse meu frágil coração
Fazendo-se de muito forte
Indecifrável e sem noção

Mas é só aparência
Pois fraquíssimo ele é
E sei que se tivesse pernas
Nunca que parava em pé

A minha grande adaptação
É uma forma de sobreviver
Foi a maneira que encontrei
Pra depressão não me vencer

Apesar de parecer forte
Vivo sempre a chorar
Mas procuro esconder
E para ninguém demonstrar

Sofro eu sozinha e calada
Me fazendo de durona
Não deixando ninguém ver
Que na verdade sou chorona

Assim é minha vida
Uma vida de sofrência
Tristeza e amargura
Uma vida de aparência

Pareço muito... forte
Uma pessoa bem feliz
Mas só que meu coração
Não é o que ele diz

Fingo estar tudo bem
Sempre rindo pra não chorar
Nem eu mesma entendo como
Ainda estou a suportar

Mas assim que é a vida
Uma constante adaptação
Aja nervo que aguente
Aja calma coração

A vida sempre foi assim
E assim sempre será
A gente espera que ela mude
Sabendo que não vai mudar

Será assim querendo ou não
E não querer é igual sofrer
Não aceitá-la como é
É uma vida sem viver

Seja um camaleão
E viva a adaptação
Verás que é bem mais fácil
Enfrentar a decepção

Acostume-se as coisas
Que te faz e não faz bem
Deixe as coisas aconteceram
Não reclame pra ninguém

Ninguém pode te ajudar
Em questão de superação
O segredo é se adaptar
Igualzinho ao camaleão.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário