quinta-feira, 31 de agosto de 2017

VAI... QUE EU VOU

Vai.. vai... vai...
Vai que eu vou também
Vai... que vai... que vai...
Vem, que vem, que vem

Vai... que vai e vem
Vai... não fica não!
A pé ou de charrete
De carro ou de avião

Vai... vai de Jaguar
Ou vá de Limusine
Aprenda o caminho
E ao voltar ensine...

Ao encontro do sucesso
Vá ao encontro da vitória
Nunca olhe para trás
Para trás nunca se olha

Olhe sempre para frente
Olhe e caminhe também
Busque sua felicidade
Vá a procura do seu bem

Quando achar seu bem estar
Quando estiver bem instalado
Ver se não vai se esquecer
De quem esteve do seu lado

Vai... vai... vai...
Vai... que eu vou também
Ao encontro de um renovo
De algo que te faça bem...

Vai... vai... vai...
Vai que eu também vou...
Ao encontro da alegria
Ao encontro do amor

Vai... vai... vai...
Vai... ali e vai... acolá
Todo mundo está indo
Eu é que não vou ficar.

A EU NORDESTINA

Uma típica onça pintada
É o que é comparada
Mulher bruta que nem brita
Mulher de fibra, arretada...

Mulher brava, e valente
Bem pior que um leão
Com ela ninguém pode
Pois com ela é sim ou não

Mulher pequena no tamanho
Mas grande em atitude
Honestidade com certeza
É à sua maior virtude

Além de ser bem esforçada
Ela também é inteligente
Fé em Deus e em si mesma
É o que a torna persistente

Mulher típica Brasileira
Com seus cabelos cacheado
Aquele típico afrozinho
Castanho, meio caramelado

Com os olhos cor de mel
Num castanho esverdeado
Que nem é verde nem castanho
Olho de um tipo encantado

Discretamente linda
Com seu jeito intrigante
Corpinho de menina
Em uma mulher elegante

Baixinha birrenta
Para muitos encrenqueira
Que discute pra caramba
Só que não é barraqueira

Até a chamam de barraqueira
Só que isso não é verdade
Os que pensam e falam isso
É que são o poço da falsidade

Ela fala quando tem razão
E se ela ver que errou
Logo conserta o seu erro
Corrigindo o que falou

Está sempre antenada
E apesar de esquecida
Está procurando sempre
Melhorias em sua vida

Mulher que ama a natureza
Plantas, árvores e às flores
Mas as rosas e orquídeas
É os seus maiores amores

Essa é uma Nordestina
Nascida lá... no Sertão
Baiana de nascença
Mas Paulista de coração

E que de verso em verso
Aqui conta a sua história
E apesar de tanta... luta
...Acredita em sua vitória.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

UM ATORMENTADO DILEMA

Sente-se uma forte... dor
Doer no fundo do coração
Dor amarga e constante
Uma grande perturbação

Aquela completa tortura
Que ninguém suporta
E a tal dor do fracasso
A trágica dor da derrota

Planos desfeitos
Depois de traçados
Planos desfeitos
Jamais alcançados

O passe do impasse
Um desastre declarado
É você ter que deixar
O que tanto quer de lado

Um aspecto de aflito
A alma e o seu grito
As idéias em atrito
E a mente em conflito

Um total desengano
Uma completa frustração
Grande desapontamento
E na mente uma confusão

O lema do dilema
Um dilema radical
Que a mente deixa a mil
Onde nada é legal

A alma tanto chora
Quanto a alma grita
A pessoa se deprime
Ou mesmo se irrrita

O desespero o peito toma
E com braveza se enfrenta
E por mais forte que seja
A pessoa não aguenta

Que dilema sofredor
Que desastre mental
Que tristeza profunda
Um tormento fatal

O peito muito dói
Com o coração a acelerar
A pessoa como louca
Logo começa a gritar

Busca por uma solução
A solução aonde estar
E a pessoa fica tonta
Tonta de tanto procurar

Em meio a essa confusão
A pessoa cai e não cai
Completamente tonta
Sem saber nem aonde vai

A dúvida a mente toma
E a pessoa entra em aflição
Vendo a hora e o instante
De enfartar seu coração

Nesta hora o que fazer
Não tem quem te socorrer
E se olha para os lados
Não tem a quem recorrer

Sozinho, abandonado
Completamente isolado
Sentindo-se num abismo
Ou até mesmo atolado

Só não se pode desistir
Tem que continuar
Acreditar que uma hora
Esse quadro vai mudar

A má sorte vai acabar
A tristeza terá um fim
E você, alegremente...
Dirá, a dor saiu de mim

Esse é o fim deste dilema
É o fim de todo tormento
Enfim essa, é a reta final
De todo... esse sofrimento.

O QUANTO DURA UM AMOR

O quanto... um amor dura?
O quanto o amor pode durar?
Ninguém... consegue dizer!
Muito... menos "explicar!"

E o que se pode fazer
Sem ter essa explicação!
Na cabeça vai continuar
Uma grande interrogação

O que se sabe disso tudo
A única lúcida explicação
E que, sem ter um carinho
O amor entra em extinção

A duração de um amor
Depende de quem está amando
Daquele que o amor recebe
E de quem o amor está dando

O amor pode durar para sempre
E também pode do nada acabar
Isso dependo de quanto amor
Ambas às partes, tem para dar

Eu sou do tipo a moda antiga
Nessa tal questão de amor
Pois curto uma boa música
E curto ganhar bombom e flor

Me amarro num carinho
Sou ganha pela atenção
E retribuo o que recebo
Me jogando na paixão

Sem carinho tudo é tristeza
A vida é um arco-íris em cor;
Um carro fora da estrada
É uma vida sem um amor

Amor que passa não é amor
No mínimo era só atração
E isso é muito perigoso
Pois faz mal para o coração

Amor tem que ser inteiro
Nunca... jamais pela metade!
Tem que ser igual ao tempo
Que dura pela eternidade

Amor é mesmo muito raro
Falo de amor de verdade
Aquele para sempre amor
Pois realmente é raridade

"Amor" que aquece e amolece
Coração duro e congelado
Acredite! Amor assim...
No mundo é o mais desejado

O quanto que o amor dura!
Sobre isso, só sei dizer...
Que só terá essa resposta
Quem um dia o amor viver

Mas um amor, "...de verdade"
Um amor, bem... envolvente
Aquele amor, ...impactante
Que toma, coração e mente

Quem não quer ter um amor
E quem não quer ser amado
Quem não quer pra vida inteira
Ter o amor bem do seu lado

Com o amor! Quem não sonha!
E ser amado! Quem não quer!
Até mesmo um desalmado;
Quer do seu lado uma mulher

Pois até um desalmado
Sente falta de carinho
Sente falta de alguém
De abraço e de beijinho

Pense bem num compulsivo
Obsessivo e o ciumento
Que ao invés de dar carinho
Pro seu amor só dar tormento

E é lógico seu amor se cansa
E de tanta infelicidade
Dá um fim na relação
E até vai embora da Cidade

Desaparece por um tempo
Ou até mesmo para sempre
Vai a procura de alguém
Que lhe ame normalmente

Alguém que lhe compreenda
Que amor de verdade tem
Que saiba como lhe carinhar
Alguém que lhe trate bem

Procura por aquele amor
Que carinho tem para dar
Que acredita no amor
E inclusive saiba amar

Quer saber mesmo o quanto
Que um amor pode durar
Viva o amor naturalmente
E deixe a vida rolar...

O quanto um amor dura
Só vivendo para saber
Se quer saber o quanto dura
Só vivendo um pra ver.

MENINO TRAVESSO

Uma coisa insuportável
Repugnante de verdade
É ver qualquer pessoa
Praticando uma maldade

Um eu dia vivenciei
E agora vou contar
Um menino atentado
De um gatinho judiar

Ele atirava pau no gato
Pegava o gato na mão
Fingia dar lhe carinho
E o arremessava no chão

Ele atirava o pau no gato
Porque sentia alergia
E acredito que ele achava
Que a paulada não doía

O pau no gato atirava
Só para vê-lo miar
E por achar engraçado
Ver de medo ele pular

Atirava o pau no gato
Porque gostava de atirar
Na verdade ele atirava
Por ser uma criança má

Atirava o pau no gato
E o gato não morria
Então atirava ainda mais
Por achar que não doía

Atirava por gostar
Atirava por querer
Atirada de propósito
Para o miado dele ver

Atirava por maldade
E por mera judiação
Atirava porque era
Uma criança sem noção

Outra coisa que fazia
Era o rabo dele puxar
Puxava ou pisava
Pro pobre gato judiar

Então cheguei pra ele
E gentilmente falei
Você não gosta de gato?
É o que eu reparei...

Oh... menino travesso
O que está fazendo!
Você não está vendo
Que o gato está sofrendo?

Não curto muito "gato"
Mas jamais vou judiar
Se você também não gosta
Deixa ele em seu lugar

Animais domésticos ficaram
Para quem gosta de cuidar
O fato de não gostar do gato
Não dá-lhe o direito de maltratar

Vá cuidar de sua vida
Caçar o que fazer
Gostaria que alguém
Fizesse isso com você?

Vai brincar com outra coisa
E chega de fazer maldade
Vai brincar com seus brinquedos
Mas brinquedos de verdade

O menino bem sem graça
Me olhando a chorar
Prometeu que nunca mais
O pau no gato ia atirar.

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

O QUE É FELICIDADE

O que é... felicidade?
Acabaram de me perguntar!
Parei, pensei e recapitulei
Mas não soube explicar
Nesta hora: O quê falar!

Devido tanta instabilidade
Um eh e não eh, sim e não
Essa coisa de está e não está
Cheguei a trágica conclusão
Felicidade, não passa ilusão

Quer viver de verdade
Esquece da felicidade
Viva a sua vida
Viva a sua realidade
Viver ilusão é maldade

Se iludir maltrata seu ser
O seu emocional depende de você
Então a melhor coisa a se fazer
E da felicidade esquecer
E Em fim começar a viver

Felicidade é momento
É algo passageiro
Então não espere tê-la sempre
Todo o dia o tempo inteiro
Isso é um tremendo exagero

Se der para ser feliz seja
Se não der apenas seja quem eh...
Você só não pode é perder a fé
Pois ter fé, é viver e acreditar
Que uma hora ou outra tudo mudará

A felicidade só existe
Para os que nela acredita
Repare que para umas pessoas
A felicidade até irrita
Pois não acham ela boa

E se irritar com felicidade
É simplesmente
Achá-la uma bobagem
Uma mera distração
Algo sem vantagem

Felicidade sim... é ilusão
Tipo você vai a uma festa
E lá bebe de montão
Quando bêbado está feliz
E depois na ressaca arrasadão

Alguém fala que te ama
E ai é aquela felicidade...
Então logo te despreza
Com a maior crueldade
Uma requinte de maldade

Felicidade existe...
Ou é uma mera ilusão!
Felicidade existe
Ou não passa de invenção
Felicidade existe ou não?

Viver sua própria vida
Valorizar sua liberdade
Amar e ser amado
Conforme a realidade
Isso que é felicidade

O que é felicidade
Felicidade é viver
Felicidade é sonhar
E esperar acontecer
Firme sem esmorecer

A felicidade existe
É só você acreditar
Viver a vida intensamente
Deixar a vida rolar
Firme sem desanimar

O que é felicidade?
Felicidade é viajar
Outra coisa espetacular
É ver o pôr do sol
Velejando em alto mar

Felicidade é sentir
A brisa fria da manhã
O sabor do chocolate
O doce gosto da moça
E o gostinho do avelã

Felicidade é amar e amar...
E também é ser amado
É dormir..., e acordar...
Com quem ama do seu lado
É esquecer-se do passado.

terça-feira, 1 de agosto de 2017

QUANDO O AMOR ACONTECE

Então: Recentemente...
Alguém me perguntou:
Quando será que acontece
Na vida um grande amor?

Então aí eu parei
E fiquei a meditar
Daí espontaneamente
Eu, comecei a falar

Um grande amor
Começa na Rua
E também pode
Num bar começar

Até dois amigos
Podem se apaixonar
Só vão correr o risco
De nenhum se declarar

Eu conheci um jovem
Que pela amiga foi apaixonado
Só que não se declarou
E o seu amor ficou no passado

A sua amiga por sua vez
Dele também muito gostava
Mas por causa da timidez
Ela também não se declarava

Então o tempo passou
E um do outro desistiu
Ela com outro se casou
E então ele a vida seguiu

Eles perderam a chance
De "juntinhos" ser feliz
Eu me pergunto se Eles
Ou o destino não quis

Em qualquer lugar
O amor pode acontecer
Mas depende com casal
O amor perceber

O amor acontece na Praça
Acontece no cinema
Acontece até mesmo
Em meio de telefonema

Acontece através da rádio
E através da televisão
Quando tem que acontecer
Ele invade o coração

Tem gente que se casa
Sem ao menos se gostar
Mas só que se apaixonar
Logo após de se casar

O amor é um mistério...
Que não se sabe explicar
Pois sabemos onde começa
Mas não o que vem a causar

Um grande amor
Começa num olhar
Pelo toque da não
E até no jeito de falar

O amor costuma acontecer
Quando ele não é esperado
Pois quando ele acontecer
Deixa muita gente chocado

O amor é silencioso
Acontece de repente
Ele chega de fininho
E toma logo a mente

Entra no coração
Sega o olho carnal
Faz a maior bagunça
Mas tudo bem natural

Quando se percebe
O amor já aconteceu
Só sabe contar quem
Um grande amor viveu

Quando o amor acontece
Sempre juntos querem estar
Então logo traçam os planos
Ficam noivos e querem casar

Juntos para sempre
Juntos todo... dia
Juntos na tristeza
E não só na alegria.

O SOFRIMENTO DO PASSADO


Num humilde bangalô
Muitos anos eu morei
E você nem imagina
O tanto que lá eu penei

Lá eu muito sorrir
E lá também chorei
Lá eu fui abandonada
Por quem tanto amai

E não foi só uma
Nem só duas vezes
Pois eu da tal tristeza
Virei até freguês

Que é hilário eh
Mas fazer o quê
Se a felicidade
Sempre foge de você

Lá eu fui perseguida
Fui até chamada de miss
Falavam na minha cara
Que eu era de "em pé nariz"

Lá muito padeci
Pois ninguém me ajudava
Ninguém me socorria
Quando de algo eu precisava

Lá fui muito julgada
Apontada pela rua
Era observada
Como se estivesse nua

Era muitíssimo triste
Aquela tal situação
E pode acreditar
Doía o meu coração

Eu vivia angustiada
Com vontade de sumir
Mas nada podia fazer
Pois não tinha para onde ir

Praticamente num brejo
É onde eu morava
Pois a noite todinha
Uns cassotes ali cantava

Era infernal
Todo aquele barulhão
Sem falar das cobras
Que rondava a escuridão

Por mais que eu limpasse
Meu humilde bangalô
Ali sempre aparecia
Peçonhentos e roedor

Mas eu ficava firme
Convicta que um dia
Se eu não perdesse a fé
Vitoriosa eu séria

Então o tempo passou
E em fim aconteceu
Conseguir minha casa própria
Aí mudei para o que é meu

Então mudei do barraquinho
Para o meu apartamento
Onde agora estou morando
Neste exato momento

Hoje graças ao céus
Eu vivo com dignidade
Agora posso até dizer
Que sou feliz nesta Cidade

Tudo aquilo que eu vivi
Não desejo a ninguém
Na verdade desejo a todos
Que tenha sorte também

Se encorajar de fé
Esse é o segredo
Encarar as dificuldades
E viver a vida sem medo

O sofrimento do passado
Todo meu ser transformou
E as coisas boas da vida
Me fez dar ainda mais valor

Com o sofrimento superado
Aos céus agradeci
Pois se não fosse Deus
Sei que não estaria aqui.