quinta-feira, 16 de agosto de 2018

SIMPLESMENTE CULTURA

Cultora é tudo
Cultura é preciso
Mas cultura sem bom senso
É uma criança sem juízo

Cultura fez, e faz parte
Do desenvolver de uma nação
Mas de nada vale a cultura
De quem não tem bom coração

Cultura é saber
E também é praticar
De nada vale a cultura
Se ninguém a admitirar

Cultura é para ser exibida
Mas tem que valer a pena
Tem que ser algo marcante
Tipo uma arte ou um poema

De nada vale ter cultura
Sem ter um bom conteúdo
Sem ter aquele toque
De mais lindo do que tudo

Cultura é inspiradora
Cultura contagia
Cultura é tristeza
E também é alegria

Cultura não é pobre
A cultura é rica
E como tatuagem
A cultura fica

Cultura é costume
Cultura é mania
E cultura se vive
Geralmente todo dia

Em tudo há cultura
Em tudo cultura há
É só reparar bem
Que cultura verá

Há cultura em tudo
Tipo no jeito de ser
E na maneira de falar
Há cultura em você

Cultura é objeto
Cultura é invento
Cultura é escrita
E bom pensamento

Em tudo cultura
Tudo que vale a pena
Tudo que se cria
Tudo o que se encena

Às vezes sem limites
A cultura é exagerada
Isso porque a cultura
Ela é mesmo ilimitada.

quarta-feira, 15 de agosto de 2018

UMA SOMBRA

Uma sombra de mim
Foi só o que restou
N'uma sombra de tristeza
Minha face transformou

Uma sombra decaiu
Uma sombra se formou
A alegria que eu tinha
Amargura se tornou

Daí então tudo se foi
E só tristeza ficou
Uma sombra de tristeza
Sua falta me deixou

Depois que você se foi
Foi o que aconteceu
Uma sombra de tristeza
Em meu peito se prendeu

E eu fiquei assim
Numa tristeza sem fim
Uma sombra de tristeza
Se alojou dentro de mim

Triste muito eu chorei
E fique desanimado
Me sentindo um cachorro
Cruelmente abandonado

Meu mundo desabou
Meu Castelo caiu
As portas se "fexou"
E o mar não se abriu

Então tudo se acabou
Antes mesmo de começar
A fruta não vingou
E no pé veio a murchar

Assim aconteceu
Um triste acontecimento
Em um dramático filme
Me senti naquele momento

A sombra de mim
A sombra de quem fui
Uma triste sombra
Procurando uma luz

Uma sombra do passado
Junto ao meu presente
Sombra que tortura
Só sabe mesmo quem sente

Uma sombra do passado
Foi mesmo o que sobrou
Tudo aquilo que eu era
Em um fantasma tornou

Sombra do passado
Uma sombra de mim
Forte com uma onda
Mas só, "Uma sombra."

segunda-feira, 13 de agosto de 2018

SEM VOCÊ

Sem você um vazio me laça
Sem você sou buquê sem flor
Sem você meu mundo para
Meu arco-íris não tem cor

Sem você não durmo a noite
Sem você é chato o meu dia
Sem você minha vida é tristeza
Sem você não tenho alegria

Sem você o sol não brilha
E não faz maré no mar
Sem você chuva não chove
E o chão fica a rachar

Sem você meu mundo é frio
Sem você não tenho amor
Você é meu sol brilhando
O meu casaco e o cobertor

Sem você nada tem graça
Meu viver, o meu existir
Nada disso tem sentido
Se você não está aqui

Sem você a canela não cheira
O diamante não tem valor
A Maria não faz fumaça
E meu Jardim não tem flor

O meu céu não tem estrela
Nem perfume tem na flor
Sem você na minha vida
Simplesmente nada sou

Sem você sou incompleto
Só você para completar
Larga tudo e vem comigo
Para sempre ser meu par...

Sem você não dá.

quinta-feira, 9 de agosto de 2018

CARÁTER RETORCIDO

É incrível como tem gente
Difícil de compreender
Que tem de ouvir o que não quer
Para o que é preciso entender

Esse tipo de gente
Vive a cara quebrando
Sabe que vive no erro
E continua teimando

Se mergulha de cabeça
Sem saber onde vai dar
Acaba a cara quebrando
E continua... a teimar

Essa gente teimosa
Não sei o que ela pensa
Só sei que a teimosia
É tão ruim quanto doença

A pessoa está ciente
De que a resposta será não
Mesmo assim ela pergunta
Êh... pessoinha sem noção

Aquele tipo encrenqueiro
O tipo que só dá trabalho
Aquele tipinho de gente
Barulhento igual chocalho

Esse tipo de pessoa
Entende mais demora
E tem mais, encher o saco
É o que ela mais adora

Você fala e ela retruca
Sempre diz que sabe tudo
E na hora da verdade
Cala a boca e fica mudo

Mas o pior de tudo
O cúmulo de se ouvir
É ela te julgar mal
Depois vim e desmentir

E vira um disse que me disse
Toda aquela agitação
Ela pondo a culpa em todos
Desviando-Se na contra mão

E no final de tudo
Nada sabe, nada ouviu
Ela não queria papo
Foi você quem existiu

Se finge de santinha
Finge nada saber
É o capeta em forma de gente
E encapetado é você

Resumindo a culpa é sua
Pois ela fala não foi eu...
Você começou a fofoca
E nesse rolo a meteu

Daí você não aceita
Nem é obrigada a aceitar
Se ela que fez confusão
Vai ter que desenrolar

Então começa o impasse
Foi você, Não foi eu não!
Até fazer ela entender
Que na real não tem razão

Mas, só que até lá...
Muito ela te estressou
Te deixou super chateado
Muito nervoso você passou

Pessoas deste jeito
São típicas "cara de pau"
E me desculpa por falar
Mas, "gente assim é do mal

Gente boa é paciente
Ela escuta com atenção
E admite quando erra
Não arruma confusão

Gente boa é humilde
É gentil e atenciosa
O contrário, a arrogante
É medíocre e orgulhosa

Caráter retorcido
Essa é a melhor descrição
Para dar a esse tipo de gente
Fábrica de decepção.

terça-feira, 7 de agosto de 2018

LIAQUIM E SUA HISTÓRIA

Antes que eu me esqueça
Um relato vou contar
Acontecido há muitos anos
No Sertão do Ceará

Ligeiramente resumido
Está história vou contar
E assim como eu gostei
Sei que você vai amar

Como eu já relatei
Continuação vou dar
Deste fato acontecido
E você vai se encantar

De um cara muito humilde
Que muito jovem se casou
E foi morar com sua esposa
Numas terras que ganhou

Sete arqueiro de terra
Com uma vista baraca
Cheio de pés de café
Caju, cajá e banana

Um belíssimo lago com peixes
Tinha nas terras deste moço
E para beber uma água potável
Também tinha um grande poço

Seu sonho de criança
Era quando crescer
Construir um casarão
Para sua família viver

Para começo de conversa
Seu nome era Liaquim
Filho da Dona Maria
Com o Senhor Joaquim

Liaquim resolveu
Logo após de se casar
Mesmo sem ter construído
Para suas terras se mudar

E ainda fez um propósito
Quando Seus pés ali pisou
De plantar duas árvores
E pôr uma rede pro seu amor

Logo no primeiro dia
Que era sua lua de mel
O casal dormiu no relento
Ambos olhando para o céu

E no segundo dia
Logo que amanheceu
Liaquim uma Choupana
Em suas terras ergueu

Uma casinha de taipa
Coberta com taboa
De frente para a estrada
E fundo para a lagoa

Então no terceiro dia
Em fim Liaquim plantou
Duas árvores não frutíferas
E sua promessa pagou

O tempo foi passando
Três anos se passou
Às árvores cresceram
E sua rede ele armou

Nesse meio tempo
Sua esposa a luz deu
Ao seu primeiro filho
Batizado de Liadeu

E já tinha Liadeu
Dois aninhos de idade
Quando enfim Liaquim
Fez tijolos a vontade

E aquele seu grande desejo
De construir um casarão
Passou a ser realidade
Pois começou a construção

Treze anos se passaram
Seu casarão ele ergueu
Com dez amplos quartos
Dificuldades ele venceu

De frente pra varanda
As duas árvores ficou
Onde ele fez o balanço
Prometido ao seu amor

A Esposa do Liaquim
Muitos filhos concebeu
Lia, Liezer, Liovaldo
Lígia, Liandra e Lizeu

Sete são o total
De filhos do Liaquim
Homens e mulheres
Sua alegria sem fim

Liaquim tanto sofreu
E muito Ele padeceu
Liaquim muito lutou
Mas Liaquim venceu

Os seus filhos cresceram
E lhes deram muita alegria
Foram seu sossego a noite
E as suas alegrias de dia

As terras dos arredores
Com tempo ele às comprou
E aquelas suas terrinhas
Uma grande Fazenda virou

Todos seus filhos casaram
E juntos a ele continuou
Pois para cada filhos
Vinte arqueiros de terra doou

De "Fazenda dos Liis"
Assim era conhecida
História de superação
Linda história de vida

Num relato resumido
Essa história eu contei
Espero que tenha gostado
Assim como eu amei.